Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hey Girl!

Why are you trying so hard to fit in when you were born to stand out?

Hey Girl!

Why are you trying so hard to fit in when you were born to stand out?

Em isolamento pela segunda vez no espaço de duas semanas

C.♥, 21.01.22

Pois é, o improvável aconteceu e depois de uma semana de "liberdade" voltei a ter que ficar em isolamento por ter um caso positivo cá em casa. Juro, 2022 não está a ser de todo o meu ano. E ainda mal começamos.

Mas pelo menos desta vez sinto que já estamos todos mais calmos, já não é novidade, já sabemos como proceder. O mais chato mesmo é por estar a recibos verdes não vou receber nada destas duas semanas, vai ser um tombo no  final do mês, nem quero pensar! Se soubesse quase que mais valia a pena termos ficado todos positivos da primeira vez, assim não precisavamos de passar por este processo todo duas vezes.

d937e61b-134f-413b-bfd5-d2aafaba3441.jpeg

Sobre estar em isolamento no pico da pandemia

C.♥, 11.01.22

Tudo começou na quarta-feira à noite, quando recebo uma mensagem da minha mãe a pedir para passar numa farmácia para lhe trazer um teste de antigénio porque a minha tia tinha dado positivo. Logo aí uma pessoa fica apreensiva! Toca a andar a procurar farmácias que ainda estivessem abertas às 22h. Testes comprados, toca a voltar a casa para lhe fazer o teste.

Chego a casa está ela bastante mal, deitada na cama, quase nem consegue olhar para mim. Mau sinal! Faço o teste. Duas riscas malandras começam a aparecer. O pânico, o horror, a tragédia! Uso logo os outros testes para testar a restante familía. Pai negativo, logo arrancado da cama e recambiado para dormir na sala. Eu e a minha irmã negativas também, ficamos confinadas no nosso quarto. Passei a madrugada inteira a desinfetar a casa toda, em todos os locais comuns que ela pudesse ter estado. 

image.jpg

Entretanto, após duas horas de um belo concerto de música clássica providenciado pela linha SNS24, finalmente atenderam a minha mãe e lhe deram os códigos para ir fazer um teste de PCR a confirmar. Começa agora o novo desafio, arranjar um posto com vaga para fazer o teste! Missão impossível, todos os sitíos que via só tinham vaga na segunda-feira, isto é, 5 dias depois de ter dado positivo em autoteste. O pânico! Entretanto, como por milagre, descobrimos um sitío onde era possível fazer o teste sem marcação, aleluia! No entanto, só no domingo recebemos o resultado PCR, de que a minha mãe estava realmente positiva.

Durante todo este tempo foi evitar saír o máximo do quarto, só sair para cozinhar e levar as refeições à minha mãe e ir à casa de banho, sempre usando duas máscaras. A casa de banho está a ser outro drama. Só temos uma casa de banho, o que significa desinfetar, desinfetar, desinfetar! 

Já passaram 6 dias desde que a minha mãe deu positivo. No entanto, ainda ninguém nos contactou, nem delegado de saúde nem posto de saúde, NADA! Os testes que temos feito têm sido autotestes, uma vez que ninguém ainda nos prescreveu o teste, e para já tem dado sempre negativo. Já liguei para lá e o que dizem é que temos que aguardar contacto da parte deles... As novas regras ditam que o periodo obrigatório de confinamento depois de um contacto positivo de alto risco são 7 dias. Nem sei se ao fim de 7 dias posso sair de casa para voltar ao trabalho ou se tenho que aguardar o contacto de alguém... Mas estou a ver que a este ritmo, não vai acontecer tão cedo.

Porquê tão tímida?

C.♥, 22.02.15

Só pareço estar confortável na minha própria pele quando bebo, e sei que isto parece muito mau, mas é a verdade. Isto não é algo que me orgulho, de todo, faz-me sentir doente por dentro só de pensar nisso, mas o álcool dá-me uma certa liberdade que não consigo ter quando estou sóbria, é como o meu cérebro estivesse a ser comprimido por milhões de forças e naqueles momentos tudo isso desvanece-se,os fios que me prendem e me impedem de ser eu mesma de repente desaparecem. A timidez desaparece por completo. Sou mais livre. Sou mais alegre. Sou mais eu.

 

Sinceramente gostava de descobrir outra forma de não me sentir presa, de sentir como a minha mente se estivesse a encurralar a si própria. Esta timidez impede-me de tanta coisa... eu não sei, mas isto não está correto, é como se ficasse congelada perante as pessoas, quando estou com pessoas novas ou que não conheço tão bem parece que não sei o que dizer, permaneço calada, mas o meu cérebro está a mil á hora a pensar que devia de facto dizer alguma coisa, juntar-me á conversa, mas sem nunca de facto o conseguir fazer. E ouvir aquelas boquinhas como "Mas tu não falas?", "Começas-te a falar ao mesmo tempo que as pessoas normais?", NOSSA, como eu odeio. Comentários como estes magoam, principalmente vindo dos teus melhores amigos e mesmo sabendo que provavelmente não era intenção magoar. Mesmo com os meus melhores amigos me consigo abrir, falar sobre mim, posso falar de muita coisa, mas sobre mim? Oh, never! Parece que nunca consigo desabafar, mesmo com os que me estão mais próximos.

 

E isto faz-me ficar completamente revoltada comigo mesma. Porque é que eu sou assim? Porque é que não consigo desabafar? Porque é que não consigo ser uma pessoa normal? Parecendo que não esta luta dentro de mim por vezes consegue destruir-me, pôr-me de tal modo deprimida e com raiva de mim mesmo que até tenho vergonha de admitir. Nem sempre é assim tão mau. Ainda á uns tempos me estava a sentir bem comigo mesmo, e a timidez não estava assim tão agravada. Mas quando é muito mau, como hoje, oh boy. Fico mesmo furiosa comigo mesma por não me conseguir dar a conhecer ás pessoas. O que há de errado comigo?

Terei feito a escolha certa?

C.♥, 25.08.14

 

Faltam 2 semanas para saber as colocações e não podia estar mais stressada. Á uns dias comecei a pensar se terei feito a escolha certa. Á mais ou menos 2 anos que tinha na cabeça o curso que queria seguir e nunca pensei noutras opções. Todas as pessoas que sabem o que vou seguir ficam com cara de "oh damn girl", e falam que vou parar ao desemprego, quer aqui, quer noutro pais qualquer e eu estou super insegura. 

 

Além disso estou com a péssima sensação que não vou ficar na minha 1ª opção e sinceramente estou um pouco preocupada, queria ficar no Porto onde vão ficar todos os meus amigos, apesar de irmos para faculdades diferentes sempre ficávamos perto uns dos outros e ia ser fantástico que pudéssemos estar todos juntos nesta etapa. Ir estudar para outra cidade onde não conheço absolutamente ninguém é sinceramente assustador, sei como sou, extremamente tímida, e tenho medo de não me conseguir integar. Por outro lado até seria bom, eu não me dou muito bem com os meus pais, por isso ter alguma distância iria ser bom para nós.

 

A minha cabeça está a 1000, não sei se fiz a escolha correta e isso está a dar cabo de mim. Não me importava nada de voltar a umas semanas atrás onde estes pensamentos estavam bem bem longe.

 

Au revouir ♥

Life episodes #1 : Que vergonha!

C.♥, 11.10.13

Já á algum tempo que ando no ginásio e na sexta feira apeteceu-me fazer uma aula de cycling que me tinham dito que era uma aula onde se perdiam bastantes calorias, ao que eu pensei "awsome". E não admira que se percam tantas calorias, é super super puxada e cansativa, acho que nunca suei tanto na minha vida!

 

No final da aula estava super fraquinha e começei a ver tudo a escorecer, escurecer, escurecer, até que ficou tudo preto. Tava toda a tremer, e só me lembro de sentir alguém a agarrar-me e depois acordar no chão com imensa gente á minha volta. Gosh, que vergonha mesmo! Nunca me tinha acontecido e tinha logo de ser ali!

 


Mas o mais embaraçoso é que agora sempre que vou ao ginásio toda a gente me fala nisso. Why me??

 

O que aprendi com isso:

  • Nunca ir para uma aula sem comer durante a tarde toda.
  • Se for a primeira aula, não fazer tudo direitinho tal qual o professor, ainda me dá o piripaco ahaha

 

Au revoir 

Malditos Exames !!!

C.♥, 31.08.13

Eles são o pesadelo de todos os estudantes do ensino secundário, criaturas desprezíveis que nos mantêm acordados até altas horas, por vezes nem nos deixam dormir, entrando nos nossos sonhos, invadindo a nossa mente, ... Sim, estou a falar dos bloodie exams, como os nossos amigos britânicos diriam.

 

É que sinceramente, não sei mesmo qual é a ideia deles! Ora acompanhem lá o meu raciocinio, nós temos testes o ano inteiroooo para sermos avaliados pelo aquilo que estamos a aprender, já temos uma nota que reflecte todo o trabalho que realizamos durante o ano inteiro, que não são apenas os testes, mas também o que fazemos nas aulas. E depois vêm inventar um raio de um exame onde dizem que sai a matéria TODA dos 2/3 anos e que temos de estudar TUDO quando na verdade não vai sair nem 1/10 daquilo tudo, e daquele 1/10, a maior parte nem vão ser perguntas sobre a matéria, mas sim coisas que eles inventam e depois nós temos que interpretar da maneira que eles querem.

 

 

Mas o caso nem era assim tão grave se o exame valesse que nem outro teste qualquer que faríamos durante o ano, mas não,claro que não, eles não nos iam fazer a vida assim tão fácil, ele vale 50% para entrar em maior parte das Universidades e ainda conta para a nossa nota na disciplina. (A sério? 50%? WTF?) Depois é claro, os alunos andam numa pilha de nervos a estudar 8 livros (porque não fazemos exame de só uma disciplina, isso é que era bom...), como é o meu caso, e depois nem conseguem estudar tão bem por cause de todo o stress e a pressão a que estão sujeitos.

 

É que é raro, mas mesmo muitooo raro um caso de alguém que nos exames não tenha descido! É que arruina completante a média de uma pessoa! Por exemplo o caso de uma amiga minha, por causa do raio dos exames a média para a entrada na faculdade desce de 17 para 14. De repente passa a ser uma aluna com notas elevadas para uma aluna mediana! E são com estas médias que temos acesso á universidade, de repente, só por casa da porcaria de um exame, deixamos de conseguir entrar no curso que queriamos, e ficamos com o destino selado por causa disto. Muitos entram em cursos que nem lhes dizem nada e depois passam a ser pessoas infelizes, não realizadas. É sempre diferente trabalhar numa coisa de que gostamos do que numa coisa que nem sequer damos um tostão por ela, não estamos empenhados, falta-nos o interesse e a motivação necessários. Destroem sonhos. Arruínam futuros. Para quê? A sério, para quê?

 

Resta só ter calma, e pensar que melhor dias virão. Contámos com isso! Até lá é com este tipo de ensino que temos de aguentar.

 

Au revoir